Você Sabia? Episódio 6.

24/04/2019

Chegamos ao sexto episódio de nossa série “Você Sabia?” e hoje o assunto será sobre o Vinho. Mais uma vez, contaremos com o excelentíssimo AFFA Carlito Cruz para nos ajudar a desvendar essa bebida alcoólica saborosa que não engorda. Não engorda? Ou engorda? Isso você vai descobrir nesse episódio!


Perguntamos ao AFFA: O Vinho pode fazer bem a nossa saúde, se consumido de forma moderada. Essa afirmação faz parte de um mito ou de uma verdade? Se verdade, qual a importância do Vinho para a nossa saúde, sendo feita a ingestao moderada, tendo em vista a presença de flavonoides, que são ricos em polifenóis, como o revesratrol? 

Obtivemos como resposta: “O Vinho ajuda a circulação sanguínea, isso é fato. Tem gente que supervaloriza, quase como se fosse um remédio, e até usa essa desculpa para beber cada vez mais. Na contramão, há quem abomine, quase sempre se utilizando da desculpa de o vinho ter mais álcool do que qualquer cerveja.
Que a verdade seja dita, vinho é uma bebida alcoólica, e como tal tem seus riscos. Mas também traz muitos benefícios à saúde (quando consumido da maneira e na quantidade correta). Não fique mais na dúvida. Alguns exemplos são:

1. Um escudo natural
Um escudo natural, é isso o que o vinho faz no organismo. Segundo pesquisas da Sociedade Europeia de Cardiologia, basta uma taça diária para diminuir em pelo menos 11% o risco de infecção por bactérias que causam uma série de doenças, como úlceras, gastrites, infecções e muitos tipos de câncer. Isso sem falar que o vinho é o único que não afeta o sistema imune!

2. Engorda ou não engorda?
Talvez o ponto mais polêmico de todos... Afinal, vinho engorda ou não? A resposta pode parecer triste, mas sim, engorda.
Dentre todas as bebidas alcoólicas, o vinho é que tem menos calorias, se bebido moderadamente, claro, e considerando a dosagem. Por exemplo, se comparar um copo de cerveja com a mesma quantidade de vinho, o vinho será mais calórico. Isto porque o teor alcoólico dele é mais alto. Por outro lado, se comparar a mesma dosagem de vinho e destilado, o destilado será mais calórico.
Além disso, é a bebida que menos se transforma em gorduras localizadas – então aquela “barriguinha de chope” não é perigo. Um estudo dos epidemiologistas da University of Buffalo relata que os que haviam consumido vinho nos últimos 30 dias, apresentavam menor tamanho abdominal. E, para fechar com chave de ouro, o teor alcoólico do vinho – nem tão baixo quanto o de uma cerveja, nem tão alto quanto dos destilados – encoraja o corpo a queimar calorias por até 90 minutos depois de beber!
O que engorda no vinho é, na verdade, o açúcar que não se transforma em álcool durante a fermentação (chamado de açúcar residual).

3. Guarde na memória
Não se lembra da data de casamento, mas lembra direitinho o nome, safra e uva daquele vinho que adorou anos atrás? Tem explicação: o vinho ajuda a preservar a memória mesmo na terceira idade. De acordo com o setor médico da Universidade do Arizona, isso acontece porque o vinho previne o sangue de coagular e reduz a inflamação dos vasos, ambos relacionados ao declínio de memória.”

Agradecemos mais uma vez ao AFFA Carlito Cruz, pela disponibilidade e pela excelência nas respostas.

Todas as notícias